Arquivo

Posts Tagged ‘alimentos’

Intoxicação alimentar.

Olá Pessoal!!! Depois de passar 2 dias no hospital e mais algumas idas e vindas de la…resolvi escrever aqui sobre intoxicação alimentar!

A intoxicação alimentar é uma infecção causada ao consumir alimento contaminado com bactéria patogênica, toxinas, vírus, príons ou parasitas. A contaminação geralmente decorre do modo inapropriado de manusear, preparar ou estocar comida. Intoxicação alimentar também pode ser causada ao adicionar pesticidas ou medicamentos ao alimento, ou ao acidentalmente consumir substâncias naturalmente venenosas como alguns cogumelos e peixes.  O contato entre alimento e pestes, especialmente moscas, ratos e baratas, também é causa de contaminação do alimento.
Os “contaminantes” mais comuns são as bactérias, especialmente a Salmonela, Shigella, Estafilococos, Campylobacter jejuni, Clostridium, E. coli, Yersinia entre outros…
Os sintomas da intoxicação alimentar geralmente começam várias horas depois da ingestão e, dependendo do agente envolvido, pode incluir alguns dos seguintes: náusea, dor abdominal, vômito, diarréia, febre, dor de cabeça e cansaço. Na maioria dos casos o corpo é capaz de recuperar-se completamente depois de um curto período de doença aguda e desconforto. Porém, intoxicação alimentar pode resultar em problemas de saúde permanentes ou até a morte, especialmente em bebês, mulheres grávidas (e o feto), idosos, pessoas doentes ou com o sistema imunológico fraco.
O tempo entre o consumo de alimento contaminado e o aparecimento dos primeiros sintomas da doença é chamado período de incubação, o qual varia de algumas horas a dias (e raramente meses ou até anos), dependendo do agente e o quanto foi consumido. Se os sintomas aparecerem entre 1-6 horas depois de ingerir o alimento, isso sugere que a intoxicação alimentar foi causada por uma toxina bacteriana ao invés de bactéria viva.
Durante o período de incubação, micróbios passam pelo estômago até o intestino, prendem-se às células do revestimento da parede do intestino, e começam a se multiplicar lá. Alguns tipos de micróbios ficam no intestino, outros produzem toxina absorvida pela circulação sanguínea e uns podem invadir diretamente tecidos mais profundos do corpo.

Como evitar a intoxicação alimentar

Muitas pessoas chegam a achar exagerados alguns dos cuidados que relacionamos abaixo. Mas, considerando os perigos que sua não observância acarreta, eles até que valem a pena. Mas ainda: são precauções muito fáceis de tomar e exigem muito pouco esforço.

  •     Lave sempre as mãos depois de ir ao banheiro e antes de preparar os alimentos. Se você tiver um ferimento nas mãos ou nos braços, proteja – o com esparadrapo e use luvas de borracha.
  •     Lave bem frutas e verduras em água corrente, sobretudo se você pretende ingeri-los crus.
  •     Certifique – se de que os alimentos estão sendo cozidos da maneira certa. Em caso de dúvidas sobre a temperatura da água ou o tempo de cozimento corretos, consulte um bom livro de culinária.
  •     Degele completamente a carne de aves antes de levá- la ao fogo. As carnes de vaca, carneiro e peixe podem ser cozidas logo depois de serem tiradas do congelador.
  •     Se você fez um ensopado e pensa utiliza – lo em mais de uma refeição, cozinhe rapidamente, cubra e conserve num lugar frio, de preferência na geladeira. Esta precaução é particularmente importante se você pretende come-lo frio, ou deixá-lo para o dia seguinte.
  •     Se quiser manter a comida quente para alguém que chegará depois, mantenha – a aquecida a uma temperatura superior a 60ºC.
  •     Quando você for requentar a comida, faça-o de maneira que ela seja totalmente reaquecida e requente apenas a quantidade que você irá comer realmente.
  •     Não deixe a carne crua entrar en contato com a que está cozida ou assada. Evite comprar em estabelecimento onde carnes cruas e cozidas ficam juntas.

Alimentando-se fora de casa

Se quando comemos em casa é importante termos cuidado com a higiene dos alimentos e utensílios que manipulamos então esse cuidado deve ser ainda maior quando jantamos ou almoçamos fora de casa.
É imperioso verificar as condições de higiene do estabelecimento, incluindo a aparência, higiene e postura dos funcionários.

Por uma questão de precaução opte por alimentos bem passados ou bem cozidos. Uma boa forma de verificar se o alimento está bem passado é cortar ao meio um bife, hamburguer ou outro pedaço de carne. Se houver o menor sinal de sangue ou partes avermelhadas, deve-se solicitar que o produto seja mais bem passado. O peixe deve estar solto, em pedaços e não mole, quando cortado.
Os ovos, por seu turno, devem ser solicitados para serem bem fritos, não devendo ser consumidos se aparentarem estar mal cozinhados. Saladas ou outros alimentos devem ser evitados se tiver dúvidas quanto à sua lavagem.
Tenha cuidado com o consumo de peixe cru fora de casa. Mariscos crus, assim como carne crua de vaca ou frango podem estar contaminadas com bactérias patogénicas. Apesar de constituirem verdadeiras delícias para os apreciadores, ostras, sushi e sashimi são pratos que só devem ser consumidos se o restaurante for da sua confiança.

Estudo sobre a quantidade de sódio nos alimentos.

Olá Pessoal!!! Como vão???

Hoje fiquei pelo menos meia hora lendo o relatório da ANVISA sobre a quantidade de sódio e gordura trans em determinados alimentos. Fiquei espantada com o resultado, alimentos que comemos normalmente e que na verdade são grandes vilões na nossa alimentação.

A alta ingestão de sódio pode prejudicar todo o nosso organismo. Tenho um grande amigo que com 25 anos é hipertenso e tem que tomar medicamentos de alta dosagem para controla-la e tudo pela quandidade de sódio que ele consome e mais aquele salzinho que ele adora acrescentar a comida.

Pessoal, vamos prestar atenção na quantidade de sódio e gordura trans dos alimentos que compramos, a hipertensão e a obesidade são os grandes problemas de saúde na sociedade moderna.

Aqui vai a reportagem que está no site da ANVISA, e quem estiver interessado leia o relátorio também, é bem dinâmico e tem vários gráficos impressionantes, o link está no começo do post, vale a pena!!!!

” A quantidade de sódio encontrado na batata palha pode variar em até 14 vezes de marca para marca.  Já nos salgadinhos de milho, essa diferença chega a 12,5. É o que revela estudo apresentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta quinta-feira (18/11), em Brasília. O estudo verificou a quantidade de sódio, gordura saturada, gordura trans e açúcares em mais de 20 categorias de alimentos industrializados.

O caso do macarrão instantâneo com tempero também chamou atenção pela grande quantidade de sódio encontrada. “Em algumas amostras ficou constatado que, ao comer uma única porção desse alimento, a pessoa está ingerindo 167% do sódio recomendado para ser consumido durante todo dia”, explica a diretora da Anvisa Maria Cecília Brito.

Quando analisados isoladamente, o macarrão instantâneo e os temperos para macarrão instantâneo, além da grande quantidade de sódio, apresentam uma grande oscilação desses teores de marca para marca. A variação chega a 7,5 na quantidade de sódio nos macarrões instantâneos e a 7,2 nos temperos.

De acordo com Maria Cecília, essa diferença encontrada nos teores de sódio, nas diferentes marcas de alimentos, comprova que a indústria pode produzir alimentos mais saudáveis. “Vamos encaminhar essa pesquisa para o Ministério da Saúde, para que seja pactuado entre Governo Federal e as indústrias de alimentos uma redução das quantidades de gorduras, açúcar e sal nos alimentos processados”, afirma a diretora da Anvisa.

Bebidas

A pesquisa da Anvisa apontou, ainda, que os níveis de sódio dos refrigerantes de baixa caloria, tanto à base de cola quanto à base de guaraná,  apresentam maiores valores de sódio em relação aos refrigerantes comuns. Nos refrigerantes de cola, a média dos teores de sódio encontrada foi de 54mg/l, enquanto nos refrigerantes de cola de baixa caloria essa média foi de 97mg/l.

Já nos refrigerantes de guaraná, os valores médios de sódio encontrados no produto convencional e no de baixa caloria foram 81 mg/l e 147 mg/l respectivamente. “Esses valores mais altos podem ser explicados pelo uso de aditivos, como o ciclamato de sódio, nos produtos de baixa caloria. Entretanto, é preciso considerar que existem limites estabelecidos e que a quantidade utilizada dessas substâncias não representa um risco para a saúde”, pondera Maria Cecília.

No caso dos sucos, bebidas com concentração de polpa da fruta entre 30 e 50%, a pesquisa indicou menor quantidade de açúcar nas amostras de suco de manga (9,8g/100ml) e maior quantidade do referido nutriente no suco de uva (14,5 g/100 ml). Já para os néctares, bebidas com concentração de polpa de fruta entre 20 e 30%, os menores índices de açúcares totais foram encontrados nos sabores de laranja, maçã e pêssego com uma média em torno de 11g/100ml. Já os néctares de uva são os campeões em teores de açúcares totais com índices que chegam à 14g/100ml.

Gorduras

Para gorduras saturadas, chama atenção a grande quantidade de marcas de alimentos com teores superiores à média encontrada na respectiva categoria.  No caso das batatas fritas, 17 das 28 marcas analisadas estavam com teores de gordura saturada acima da média.

Nas batatas palhas, 55% das marcas analisadas estavam com teores de gorduras saturadas com valores superiores à média desse nutriente para o respectivo produto. Já nos salgadinhos de milho, o maior valor encontrado de gordura saturada (2,6g/25g) foi dez vezes maior que o valor mínimo (0,25g/25g).

Nos biscoitos, o que apresentou os maiores teores de gorduras, tanto saturadas quanto trans, foram os de polvilho. “Com essas informações em mãos, que apontam tanto uma variação de nutrientes dentro de uma mesma categoria de alimentos, quanto entre categorias diferentes, fica mais clara a necessidade de o consumidor observar com atenção as tabelas nutricionais nos rótulos dos alimentos e optar por alimentos mais saudáveis”, orienta a diretora da Anvisa.

Fortificação de farinhas

O estudo da Anvisa também analisou o teor de ferro nas farinhas de trigo e de milho. O objetivo foi verificar se a fortificação obrigatória dessas farinhas com ferro e ácido fólico estava sendo cumprida. De acordo com a Resolução RDC 344/2002 da Agência, a cada 100g de farinhas de trigo e de milho, deve haver no mínimo 4,2 mg de ferro.

Os resultados apontaram que 87% das amostras de farinha, fubá e floco de milho apresentaram teor de fero inferior ao determinado. Já na farinha de trigo, 54% das amostras apresentaram resultados insatisfatórios.

Dados

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2001, 60% do total das 56,5 milhões de mortes notificadas no mundo foi resultado de doenças crônicas não-transmissíveis.  Além disso, o aumento da pressão arterial no mundo é o principal fator de risco de morte e o segundo de incapacidades por doenças cardíacas, acidente cérebro vascular e insuficiência renal.

Já dados do IBGE indicam que, em 2009, uma em cada três crianças brasileiras na faixa de 5 a 9 anos estava com sobrepeso, sendo que a obesidade atingiu 16,6% dos meninos e 11,8% das meninas.  Durante o período de 1974 a 2009, a prevalência de sobrepeso em crianças e adolescentes, entre 10 e 19 anos, passou de 3,7% para 21,7% no sexo masculino e de 7,6% para 19,4% no sexo feminino. Nesse mesmo período, o sobrepeso na população adulta masculina passou de 18,5% para 50,1%, enquanto que na feminina foi de 28,7% para 48%. ”

Site da ANVISA.

Sacolas ecológicas podem contaminar os alimentos.

Olá pessoal!! como vao??

Hoje estava navegando pela internet e achei no site da revista Saúde Plena uma matéria MUITO interessante sobre as Ecobags ou mais conhecidas como sacolas plásticas. Todo mundo entrou na maravilhosa iniciativa de parar de usar os famosos saquinhos plásticos do supermercado para ajudar em mais um grande problema do nosso mundo.

Mas muita gente não está cuidando da sua Ecobag! Assim também não pode….

Estudo publicado nos EUA revelou que as ecobags, sacolas ecológicas produzidas a partir de material reciclado e usadas para substituir sacos plásticos e, assim, reduzir o acúmulo de lixo, podem contaminar os alimentos se não forem bem higienizadas. Algumas lojas e supermercados têm aderido a esta proposta e feito a troca.

No entanto, as pessoas se esquecem de um importante fato: a higiene.

Como todo produto durável que você possui em casa, como roupas, as ecobags precisam ser limpas semanalmente, no mínimo.

As sacolas ecológicas que não são higienizadas são focos de bactérias, podendo contaminar os alimentos comprados no supermercado e causar sérios problemas à saúde humana, principalmente às crianças, que possuem um organismo mais frágil.

As ecobags são fáceis de serem limpas. Uma simples higienização semanal, de preferência com água quente, e o problema estará resolvido.

Entretanto, muitas pessoas não sabem deste detalhe e o estudo mostra que 97% das pessoas não higienizam sua sacola retornável.

As sacolas ecológicas continuarão sendo uma solução para diminuir a poluição e o acúmulo do lixo no planeta. As pessoas apenas têm de ser educadas ambientalmente sobre como prosseguir ao adquiri-las.

Então, você já sabe. Daqui pra frente, não esqueça de limpar suas ecobags! Você precisa lavá-la sempre, com sabão e deixar secar bem. ”

Pois é gente…essa foi nova pra mim também!

Por hoje é só!!!

Abraços

Thais Nobile

Afinal, o que é o Ômega 3 ???

Oi pessoal!

Outro dia eu estava na fila do caixa no mercado e uma senhora atrás de mim estava conversando com uma outra pessoa, ela segurava uma lata de sardinha na mão e dizia toda feliz que tinha Ômega 3 e que tinha visto ta televisão que isso fazia bem!!

Fiquei pensando….será que as pessoas sabem o que é esse tal de Ômega 3 que tanto ouvem falar por ai???? Bom….vamos la…

Ômega 3 é um ácido graxo poliinsaturado ( “ gordura”) que não está presente no organismo, por isso precisamos buscar essas gorduras boas pela alimentação. Ele esta presente principalmente em peixes gordurosos, alguns óleos vegetais, castanhas, nozes e outros. O salmão vermelho, é considerado o peixe mais rico em ômega 3, o atum, a sardinha e o bacalhau também são bons representantes desse grupo.

Porém, deve ser evitado fritar os peixes, eles devem ser consumidos grelhados, assados ou cozidos. Frita-los faz com que eles percam toda essa parte nutritiva.

Os benefícios do ômega 3:

* diminui o nível de triglicérides e colesterol(LDL) no sangue

* ajuda a prevenir danos vasculares como formação de coágulos e agregação plaquetária, aumentando a fluidez do sangue

* melhora no ritmo cardíaco

* melhoram o sistema imunológico, combatendo alergias e inflamações

* melhora o aspecto da pele, dando uma aparência aveludada

* combate o stress

* melhora a concentração e memória

* prevenção de doenças cerebrais degenerativas

* redução da pressão arterial , diabetes , derrame, asma

Vale lembrar que apesar de ótimo para a saúde em geral, como todo alimento saudável, o excesso pode dificultar a coagulação sangüínea. Ao consumirmos ômega 3 nosso corpo faz uma “ reserva”, que vai sendo liberada a medida que o corpo necessita, então se ingerirmos mais do que o necessario poderá ser prejudicial.

Exemplo: A alimentação dos esquimós é feita à base de peixes e animais marinhos e é excessivamente rica em gorduras e proteínas. Consomem pouca Vitamina C, fibras e hidratos de carbono. De acordo com os estudos de nutrição, eles deveriam apresentar alta mortalidade, principalmente por doenças cardiovasculares, as quais causam mais de um terço das mortes em populações ocidentais. Acontece, entretanto, que os esquimós da Groenlândia são, neste aspecto, um dos povos mais saudáveis que se conhece. Além de apresentarem teores de colesterol e triglicerídios muito abaixo dos povos com alimentação do tipo ocidental, neles as doenças das coronárias (infarto, angina), praticamente inexistem, a hipertensão é rara, assim como a obesidade e a artrite reumatóide; as doenças da pele e o diabetes também são raríssimos.

É isso ai gente, vamos pescar então ne???

Propaganda de alimentos

Olá Pessoal!!! Mais um belo dia de sol hein?! E vamos aproveitar pq o feriado ta chegando aí!!!

E feriado lembra oq?? Comer uma bando de besteira o tempo todo!!! Mas não podemos esquecer que ter uma alimentação saudável é fundamental nesse tempo de gerações obesas!!

Pra gente entender melhor o que tem nos alimentos não muito nutritivos que comemos e pra não cairmos nas enganações que as propagandas nos proporcionam, a ANVISA estabeleceu algumas regrinhas pro consumidor ficar alerta e se controlar mais. Vamos ver????

“ Propaganda de alimentos: novo regulamento garante liberdade de escolha e incentiva alimentação saudável

As propagandas de bebidas com baixo teor nutricional e de alimentos com elevadas quantidades de açúcar, de gordura saturada ou trans e de sódio vão mudar nos próximos 180 dias. Esse é o prazo que as empresas têm para se adequar à RDC 24/2010.  A resolução estabelece novas regras para a publicidade e a promoção comercial desses alimentos. O objetivo é proteger os consumidores de práticas que possam, por exemplo, omitir informações ou induzir ao consumo excessivo.

“O consumidor é livre para decidir o que comer. No entanto, a verdadeira liberdade de escolha só acontece quando ele tem acesso às informações daquele alimento, conhece os riscos para a sua saúde e não é induzido por meio de práticas abusivas”, afirma a gerente de monitoramento e fiscalização de propaganda da Anvisa, Maria José Delgado.

Com a nova resolução da Agência, ficam proibidos os símbolos, figuras ou desenhos que possam causar interpretação falsa, erro ou confusão quanto à origem, qualidade e composição dos alimentos. Também não será permitido atribuir características superiores às que o produto possui, bem como sugerir que o alimento é nutricionalmente completo ou que seu consumo é garantia de uma boa saúde.

Uma das grandes preocupações da resolução está focada no público infantil, reconhecidamente mais vulnerável. Por isso a nova resolução dá especial importância à divulgação acerca dos perigos vinculados ao consumo excessivo de determinados produtos.

Alertas

Ao se divulgar ou promover alguns alimentos será necessário veicular alertas sobre os perigos do consumo excessivo. Para os alimentos com muito açúcar, por exemplo, o alerta é “O (marca comercial) contém muito açúcar e, se consumido em grande quantidade, aumenta o risco de obesidade e de cárie dentária”.

No caso dos alimentos sólidos, esse alerta deverá ser veiculado quando houver mais de 15g de açúcar em 100g de produto. Em relação aos refrigerantes, refrescos, concentrados e chás prontos, o alerta será obrigatório sempre que a bebida apresentar mais de 7,5 g de açúcar a cada 100 ml.

Na TV, o alerta terá de ser pronunciado pelo personagem principal. Já no rádio, a função caberá ao locutor. Quando se tratar de material impresso, o alerta deverá causar o mesmo impacto visual que as demais informações. E na internet, ele deverá ser exibido de forma permanente e visível, junto com a peça publicitária.

Os alertas deverão ser veiculados, ainda, durante a distribuição de amostras grátis, de cupons de descontos e de materiais publicitários de patrocínio, bem como na divulgação de campanhas sociais que mencionem os nomes ou marcas de alimentos com essas características.

Os fabricantes de alimentos, anunciantes, agências de publicidade e veículos de comunicação que não cumprirem as exigências estarão sujeitos às penalidades da lei federal 6437/77: sanções que vão de notificação a interdição e multas entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão. “

( Retirado do site da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

Hey, pessoal!!

Quem tiver alguma dúvida, sugestão para novos posts, reclamação ou quiser falar comigo é so escrever um comentário ok????

Até breve! Beijão

Thais.