Arquivo

Posts Tagged ‘farmácias’

Preço de medicamento varia até 952%

Pesquisa do Procon-SP divulgada nesta segunda-feira aponta diferenças de até 951,7% entre os preços de medicamentos genéricos. Essa variação foi constatada no Diclofenaco Sódico (50 mg, 20 comprimidos), encontrado em um estabelecimento por R$ 9,36 e em outro por R$ 0,89.

Entre os medicamentos de referência, a maior diferença de preço (520,8%) foi contabilizada no valor do Propranolol Ayerst (Cloridrato de Propranolol), da Sigma Pharma (40 mg, 30 comprimidos), encontrado por R$ 7,45 e por R$ 1,20.

Na comparação entre os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação, o levantamento mostrou que, em média, os genéricos são 58,5% mais baratos do que os de referência.

A pesquisa foi feita entre os dias 28 e 30 de setembro em 15 drogarias distribuídas pelas cinco regiões da cidade de São Paulo. Do total de itens comparados, a unidade do Walmart localizada na região sul da capital foi a que apresentou a maior quantidade de produtos com menor preço –34 dos 52.

O Procon-SP orienta o consumidor a evitar comprar medicamentos sem bula e sem embalagem. Outra sugestão é sempre verificar se o número do lote, prazo de validade e data de fabricação na caixa são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos.

Como inutilizar medicamentos vencidos?

Oi Pessoal, como vai??

Hoje vou falar sobre algo que já me perguntaram muitas vezes e também já vi muita gente fazendo errado, como descartar os medicamentos que já venceram. Ainda não está totalmente formalizado o método e inutilização deles, há muito a ser estabelecido ainda, mas algumas atitudes devem ser tomadas.

O grande perigo desses medicamentos vencidos é o perigo de intoxicação que eles possuem. Se forem consumidos após o período indicado podem causar sérios danos a saúde.

É comum a população descartar os remédios de maneira errada, esses produtos não devem ser jogados no lixo doméstico na embalagem original.

Não há nenhuma lei que regulamente o descarte de medicamentos e faltam orientações sobre o assunto. Uma das maneiras seria encaminhar o medicamento a uma farmácia para que o produto fosse descartado junto com o lixo produzido pelo estabelecimento. Porém, a farmácia não é obrigada a realizar o serviço.

É importante inutilizar esses medicamentos, o líquido de frascos deve ser jogado na pia ou no vaso sanitário. O recipiente precisa ser lavado, para evitar que outras pessoas consumam o medicamento vencido. No caso de comprimidos, não é necessário quebrá-lo, jogando o comprimido no vaso sanitário e dando descarga não há problema algum, porque ele se desintegra e não causa problema algum.

O grande problema desta maneira de descarte é acarretar problemas ao meio ambiente, para locais onde a rede de esgodo acaba indo para um rio; Porém quando jogamos os medicamentos em lixo comum, sabemos que muitas pessoas e animais podem revirar esse material achá-lo e consumi-lo, o que é muito prejudicial.

O vice-presidente do Conselho Regional de Farmácia afirma que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não define normas específicas, mas estuda uma resolução que prevê que as farmácias e drogarias poderiam aceitar os medicamentos vencidos, assim, evitamos contaminaçoes ambientais e populacionais.

Acordo entre Anvisa e FDA.

Oi Pessoal!!!

Encontrei esta noticia na internet e achei de extrema importância, ela foi divulgada dia 24/09/2010 no site do ministério da Saúde.

Finalmente um acordo entre a ANVISA e o FDA foi realizado,  é o começo de uma grande evolução na vigilância sanitária! Quem está por dentro da área sabe como essas mudanças farão toda a diferença na realização de processos e registros. Leiam e comentem o que acharam ok?! Abraço.


A Anvisa e a agência americana FDA (Food and Drug Administration) firmaram, nesta quarta-feira (24), em Washington, acordo de confidencialidade para a troca de informações. Na prática, a medida contribuirá, por exemplo, para agilizar o registro de medicamentos, diminuir a necessidade de inspeções e acelerar a avaliação sobre a retirada de produtos do mercado.

O acordo é a primeira etapa para o reconhecimento mútuo entre as duas agências e envolve três áreas distintas: registro de medicamentos, equipamentos e produtos médicos; inspeções e vigilância pós-mercado.

“Isso tem um impacto brutal porque, se eu tenho acordos que me permitem reconhecer etapas já realizadas pelo FDA e vice-versa, ganho em rapidez, segurança, evito dispersão de recursos e sobreposição de trabalho”, afirmou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

O acordo permite a troca de todas as informações sobre registro de medicamentos entre as duas agências, o que não só facilita a liberação de venda do produto, como evita o retrabalho na análise da documentação das empresas.

Outra novidade é que as agências passam a reconhecer as inspeções realizadas pela sua correspondente no país estrangeiro. No caso de medicamentos, por exemplo, a Anvisa não precisará deslocar técnicos ao exterior para certificar as fábricas do produto. Basta que o produtor tenha a inspeção em dia com o FDA.

Anvisa e FDA passam, também, a trocar informações sobre a pós-comercialização dos produtos. Nas situações em que uma das agências identificar a necessidade de recolhimento de um produto do mercado, sua correlata estrangeira saberá da decisão automaticamente.

“Essa é uma tendência mundial. Na área da saúde são milhares as empresas em todo o mundo que devem ser visitadas. Se as agências tiveram uniformidade e unirem esforços, sem dúvida teremos abrangência bem maior”, disse o diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Raposo.

Na avaliação do ministro Temporão, o acordo com uma das duas mais importantes agências de regulação de tecnologia em saúde e vigilância sanitária do mundo expressa um reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido pela Anvisa. Em maio deste ano, a OPAS (Organização Pan-americana da Saúde) certificou a agência brasileira como Autoridade Reguladora Nacional de referência. O próximo passo é o reconhecimento pela Organização Mundial da Saúde.

Fonte: ministério da saúde.

Dia Internacional do Farmacêutico!!!


Olá Pessoal!!! Hoje é nosso dia internacional!!!! Parabens a nós Farmacêuticos que trabalhamos MUITO, temos que entender de tudo e nao somos justamente remunerados pra isso, mas…amamos ser farmacêuticos e temos orgulho disso ne?!!

O Conselho da FIP (Federação Internacional Farmacêutica) instituiu, por meio de votação realizada, no dia 28 de agosto de 2010 (sábado), 25 de setembro como o Dia Internacional dos Farmacêuticos. A decisão visa a dar uma unidade entre a categoria, no mundo inteiro.

A FIP está realizando, no Centro de Congressos de Lisboa (Portugal), o seu 70º Congresso, que tem por tema “Da molécula ao medicamento, com vista à maximização de resultados: uma viagem exploratória pela farmácia”. O evento vai até o dia 2 de setembro. O Presidente do CFF, Jaldo de Souza Santos, está, em Portugal, participando do Congresso.

Considerado o maior evento farmacêutico do mundo, o 70º Congresso da FIP reúne 3 mil profissionais e cientistas de 200 países. É, por excelência, um importante fórum de reflexão sobre os grandes temas da atualidade farmacêutica e de saúde em geral. Nele, são definidas as principais normas orientadoras que irão reger a profissão. O evento reúne 50 programas, cada um abordando diferentes assuntos em seminários, palestras, mesas redondas, workshops, fóruns, painéis, reuniões.

O Presidente vai defender, no Congresso, o fortalecimento da assistência farmacêutica, nos países sul-americanos. Ele defende a urgente a adoção, por parte das autoridades sanitárias do Continente, de políticas públicas que incluam os cuidados farmacêuticos no contexto da saúde pública.

Cita o “Curso de Aperfeiçoamento em Diabetes para Farmacêuticos”, oferecido pelo Ministério da Saúde, Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Conselho Federal de Farmácia, ADJ (Associação de Diabetes Juvenil) e outros órgãos, como exemplo de ação de saúde por meio dos serviços farmacêuticos. O curso vai capacitar 80 mil farmacêuticos de todo o Brasil, até o final de 2011, para que prestem cuidados a pessoas diabéticas.

Sobre o Congresso da FIP, Souza Santos declarou: “É a melhor oportunidade que farmacêuticos de todos os continentes tem para discutir a profissão, assimilar os avanços da ciência e apontar caminhos que levem à melhorias na saúde”. Sobre a decisão dos membros do Conselho da FIP, de escolher o dia 25 de setembro como o Dia Internacional dos Farmacêuticos, o Presidente do CFF explica que é uma forma de a categoria ter uma data para lembrar da profissão, no mundo inteiro, e fazer com que as sociedades, também, conheçam a profissão.

Fonte: Assesoria de Imprensa do CFF
Autor: Jornalista Aloísio Brandão

Educação farmacêutica em vídeo!

Oi gente!!! Como foram de fim de semana???Aproveitaram o friozão?!

Bom…mais uma vez o CRF-SP teve uma iniciativa incrível, particularmente, eu adoro as ideias deles. Acho todas muito válidas e informativas tanto aos profissionais quanto a população.

A ultima deles é a Educação farmacêutica em vídeo!!! Com o objetivo de preparar o farmacêutico para oferecer à população a prestação de serviços com qualidade. O primeiro DVD será lançado em 19/09 às 18h durante o XVI Congresso Paulista de Farmacêuticos, realizado de 18 a 21 de setembro no Anhembi.

A série inédita chamada “Educação Farmacêutica em vídeo” é composta por 11 DVDs com orientações técnicas sobre a dispensação e o uso racional de medicamentos e, à medida em que os vídeos forem finalizados, serão  enviados gratuitamente aos mais de 40 mil farmacêuticos inscritos no CRF-SP.

Com todo o conteúdo elaborado por farmacêuticos especialistas em questões técnicas, legais e principalmente em consonância com o exercício diário da profissão, o primeiro vídeo “Farmácia é saúde” apresenta as principais ações do CRF-SP em defesa da farmácia estabelecimento de saúde, o pioneirismo ao elaborar um manual de orientação sobre os produtos que não devem ser comercializados em farmácias e drogarias, além de contar um pedaço da história da farmácia e de conter depoimentos de diretores do CRF-SP, da Interfarma, parceira nesta ação e de autoridades como o presidente da Anvisa, dr. Dirceu Raposo de Mello.

A qualificação profissional do farmacêutico sempre esteve na linha de frente da atuação do CRF-SP. Só assim o profissional pode exercer a profissão com excelência, oferecer serviços com qualidade e ainda atuar como agente de saúde capacitado para o correto atendimento da população.

Outros temas que farão parte da série e que já estão sendo produzidos: Atenção farmacêutica, Hipertensão, Diabetes, Medicamentos isentos de prescrição, Interações medicamentosas, Farmacovigilância, Injetáveis, Inaloterapia, Primeiros socorros e Fitoterápicos.

(Matéria retirada do site do CRF-SP)

Legal né gente?? É sempre importante estar cada vez mais informado, principalmente nesta área que mexe com a saúde das pessoas tão diretamente.

É isso ai! Até breve!!!

Abraços…

Thais Nobile

SAC

Olá Pessoal!!!

Hoje vamos falar um pouco sobre um serviço que o farmacêutico pode exercer e que é muito pouco valorizado, mas sua importancia dentro de uma empresa é fundamental! O SAC!!!

O SAC da orientações aos pacientes sobre armazenagem, possíveis interações com alimentos ou outros medicamentos, posologia, reações adversas e utilização correta da forma farmacêutica.

Além de auxiliar na manutenção do tratamento, o bom atendimento e a informação resultam na fidelização do consumidor, funcionando como um canal de garantia e credibilidade da empresa, na medida em que atendentes bem preparados e treinados geram confiança por parte do cliente.

As pessoas que ligam no SAC normalmente são pacientes, parceiros comerciais (como farmácias e distribuidoras) médicos, outros profissionais da área de saúde ou até mesmo a força de vendas da empresa. Os tipos mais comuns de atendimento são agradecimentos, elogios, denúncias, informações, sugestões, reclamações e solicitações – mas nem sempre as perguntas que chegam são simples. Por isso, o profissional de atendimento deve ter domínio de Farmacologia (eficácia, posologia, mecanismo de ação, reações adversas, interações medicamentosas), Patologia (reconhecimento de sintomas, para saber se é uma reação adversa prevista ou não em bula), Fisiologia, Farmacotécnica (formas farmacêutica e suas administrações e a composições dos medicamentos, para orientação de pacientes com hipersensibilidade), Farmacocinética (tempo de absorção, interações, início de efeito terapêutico) e Legislação específica.

Outra área de atuação do serviço é a farmacovigilância, ( que já falamos antes aqui no blog) que consiste na monitorização da segurança de medicamentos comercializados, detectando e avaliando as reações adversas, tendo como objetivo sua prevenção. Toda vez que há suspeita de reação adversa – o que envolve qualquer sinal desfavorável e não intencional -, sintomas ou doença temporalmente associada com o uso de medicamento, cabe ao SAC fazer uma Notificação de Farmacovigilância à Anvisa.

Atender a todas essas necessidades exige multidisciplinaridade por parte do profissional do SAC, que é um dos mais completos dentro da indústria farmacêutica, não só pelo conhecimento diversificado, como pelo senso de responsabilidade (pois lida com a vida humana o tempo todo), organização e sociabilidade.

Por hoje é só!!!

Até mais!!

Determinação da RDC 44/09

Oi Pessoal!!
Estou colocando aqui no blog uma matéria que saiu no site do CRF-SP muito interessante sobre Farmácias/Drogarias que ainda vendem medicamentos controlados pela internet!
Isso é totalmente proibido hein?! Não comprem!!

Tribunal de Justiça de Minas Gerais impede a venda de medicamentos controlados pela Internet

São Paulo, 18 de agosto de 2010.
Uma rede de farmácias com filiais em Minas Gerais teve indeferido o pedido de venda de medicamentos controlados pela internet pelo Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. De acordo com o juiz Manoel dos Reis Morais, a empresa deve respeitar as normas ditadas pela Anvisa (RDC 44/09), que buscam resguardar a saúde humana em todos os sentidos. E, no caso em questão, trata-se da venda de medicamentos que podem causar sérios danos ao bem-estar do paciente.

Apesar da comercialização de medicamentos sujeitos a controle especial ser proibida por meio remoto, conforme determina a RDC 44/09, a rede realiza a venda via internet, telefone ou fax. Segundo o texto da ação, a rede alega que a resolução é ilegal e abusiva, no entanto, ao indeferir o pedido o juiz entendeu que a empresa deve respeitar as normas da Anvisa, uma vez que este é o órgão responsável por regular a venda de medicamentos no Brasil. Conforme o trecho:

“...A ANVISA, com a norma administrativa em comento, procurou regulamentar e cercar de segurança a circulação daqueles remédios, a fim de que se tenha a certeza absoluta de que o medicamento (de controle especial) prescrito está sendo dispensado nos termos do receituário médico e para a pessoa mesma que dele necessita, tudo sob orientação e fiscalização do farmacêutico in loco.”